Plus size em foco

Clipping
| 11/09/17 |

Várias mudanças tem ocorrido no mundo da moda, como escrevi na última coluna sobre o feminismo e a crescente busca pelos direitos das mulheres nas mais diversas áreas, e o que está vigente na cultura atual reflete direta e indiretamente na moda, e com a busca pela diminuição do preconceito em relação às diferenças, pôde-se ver nos últimos desfiles internacionais modelos plus size nas passarelas.

Diversas marcas que muitas vezes foram relutantes em produzir roupas em números maiores estão começando a desenvolver coleções especiais em plus size, até pelo fato da demanda estar aumentando. Há algumas temporadas os designers americanos Michael Kors e Christian Siriano já vem mostrando modelos de tamanhos variados em seus desfiles.

Modelos plus size nos desfiles do estilista Christian Siriano

Ashley Graham no desfile de Michael Kors

Prabal Gurung, outro estilista presente na New York Fashion Week, que em seu último desfile as modelos apareceram usando camisetas com frases em defesa aos direitos das mulheres, também teve em seu cast modelos plus size, of course! Inúmeras marcas já estão de olho neste nicho como Asos, H&M e a gigante do esporte Nike. A própria definição do plus size vem sofrendo mudanças, abrangendo para numerações cada vez maiores. A modelo curvilínea americana Ashley Graham é a modelo de proporções generosas da vez, participando de vários desfiles, além de ser modelo fotográfica de lingerie e biquíni, e também já foi capa da revista Sports Illustrated Swinsuit, famosa por fazer ensaios com modelos usando minúsculos biquínis.

O estilista Prabal Gurung e a modelo plus size que é sensação do momento, Ashley Graham

Reflexo das mudanças que tem ocorrido na sociedade, pois existe uma busca cada vez maior pela igualdade entre gêneros e grupos étnicos, por isso há uma forte corrente para que o plus size deixe de ser uma categoria separada e se torne uma numeração que se encaixe em todas as coleções de todos os tipos de marcas. Quem usa uma numeração considerada maior também quer usar roupas com informação de moda e conectadas às tendências, o que costuma ser difícil de encontrar. É uma mudança que está discretamente começando a aparecer, pois a indústria em geral ainda resiste a essas alterações dos paradigmas vigentes, mas consequentemente vai ser assimilada com o passar dos anos.

Matéria publicada na revista Perfil em junho de 2017