O que é luxo?

Clipping
| 19/01/17 |

Recentemente – como já mostrei em posts anteriores aqui no blog – fiz um curso de Imersão no Mercado de Luxo em Paris, o qual abrangia diversas áreas como moda, gastronomia, hotelaria, decoração, entre outras, tudo repleto do savoir-faire francês. Ainda não tinha tido oportunidade, mas acho interessante ir dividindo com vocês o que aprendi nesse curso que me acrescentou muito.

Começo com a pergunta: o que é luxo? O luxo tem um significado muito relativo e pessoal. Por exemplo, pode ser a aquisição de produtos caros de grifes mundialmente reconhecidas, viagens, frequentar restaurantes renomados, mas também pode ser algo que não dependa somente do dinheiro como ter tempo livre e poder passar mais tempo com a família e os amigos.

Atualmente, o luxo está na exclusividade e principalmente na busca por novas experiências, como um passeio exclusivo ou até mesmo um tratamento em um SPA que tenha um novo estilo e faça uso de novas técnicas. Em relação à moda, o luxo também é considerado uma arte e é tudo aquilo que possui alta qualidade de materiais, atenção minuciosa aos detalhes e principalmente, é feito à mão. A compra de experiências é uma nova tendência, pois as pessoas estão se dando conta de que comprar bens materiais não leva à felicidade. Do ponto de vista dos negócios, existe a opinião de que para serem considerados de luxo, os produtos precisam estar presentes mundialmente no mercado.

Analisando mais profundamente, o luxo é a projeção de sentimentos e emoções nos objetos. Não é o produto em si, mas o que se projeta neles, ou seja, nós é que damos o valor aos objetos. Por exemplo: uma bolsa Chanel – considerada de luxo – é objeto de desejo, pois nós inconsciente e conscientemente colocamos as nossas emoções neste objeto. Vou obter status ao usá-la, mostrarei poder, bom gosto, estilo, etc.

O modo de apreciar e usar os produtos de luxo também varia de acordo com cada cultura. Nos países emergentes como os do BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – a ostentação ao usar bolsas, acessórios, roupas e calçados de marcas consideradas de luxo ainda é bem evidente. Por isso, os produtos repletos de logomarcas de grifes mundialmente famosas fazem tanto sucesso entre os consumidores desses países. Isso se deve ao fato do luxo ser algo recente na história dos países em desenvolvimento e, por isso, há um certo deslumbramento de querer ter estes itens e poder mostrar aos outros que pode financeiramente arcar com o custo da compra.

Já nos países desenvolvidos como os europeus, quase não há mais espaço para a ostentação, e sim, muita discrição ao usar produtos de luxo. Dificilmente há a procura por bolsas e acessórios com logos gigantescas, mas por peças ‘low profile’ e de qualidade, de grifes consideradas realmente de luxo, ou seja, com fabricação à mão (de preferência em atelier próprio) e, algo mais atual, existe uma preocupação se a empresa busca reduzir o impacto da poluição no meio ambiente, evitando o desperdício de materiais e o uso de produtos químicos altamente poluentes de rios e oceanos.

Enfim, o luxo tem uma definição muito particular para cada um, de acordo com sua vivência e experiências de vida. Basta escolher a sua!

Abrazos

Comentários no Facebook

Comentários no Blog

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Também